Justiça impõe quebra de autonomia às Universidades Estaduais do Paraná

Uma liminar da Justiça de Londrina estabeleceu, no dia 4, um prazo de quinze dias para que as Universidades Estaduais Paranaenses forneçam documentações de recursos humanos para serem inseridas no sistema de gestão de pessoal do governo do estado, o Meta 4. O Meta 4 é um sistema de gestão de folha de pagamento do governo do estado, que acaba com a autonomia financeira das universidades.

“É mais um sinal claro da tentativa de colocar professores e técnicos contra a parede. O governo tem tentado a todo custo colocar em prática seu projeto de desmonte das instituições públicas”, afirma Gilson Guimarães, vice-presidente do Sindicato dos Docentes da Universidade Estadual de Ponta Grossa (Sinduepg – Seção Sindical do ANDES-SN) em entrevista ao portal Porém.Net.

Guimarães destaca a campanha difamatória do governador contra professores e servidores das IEES. “Ele tem utilizado esse debate do Meta 4 para difamar os trabalhadores. Porém esse discurso da transparência não representa nada do que é seu projeto. As universidades já são transparentes, todos os dados sobre folha de pagamento já estão no portal da transparência. Isso já é público”, ressalta.

A reitoria da Universidade Estadual de Londrina (UEL) também já emitiu nota oficial informando que irá recorrer da decisão. A administração da UEL aponta que a decisão desconsidera mandado de segurança do Supremo Tribunal Federal (STF), o qual reafirma a autonomia de gestão à instituição.

O que é o Meta 4?
O Meta 4 é um sistema operacional de gerenciamento das despesas de pessoal adotado pelos órgãos da administração estadual do Paraná. O intuito do governo é retirar das universidades a sua autonomia financeira, e por meio deste software [Meta 4] controlar todos os procedimentos financeiros das universidades, como despesas com verbas de custeio e folha de pagamento estarão também sob controle da Secretaria de Fazenda do estado.

Fonte: ANDES-SN, disponível em http://www.andes.org.br/andes/print-ultimas-noticias.andes?id=9094

Anúncios

Aduff propõe agenda de resistência conjunta contra desmonte da universidade pública e da pesquisa

Foto: Luiz Fernando Nabuco/Aduff

Debate “Cortes na Ciência e Tecnologia, Privatização e Desmonte da Universidade Pública” ocorreu na quinta-feira (5), no campus da UFF no Gragoatá, em Niterói

Por Hélcio Lourenço Filho e Lara Abib – Redação da ADUFF

Na abertura do debate sobre os cortes nos orçamentos da educação, da pesquisa e da Ciência e Tecnologia, o presidente da Aduff-SSind, professor Gustavo Gomes, defendeu a constituição de uma agenda comum de resistência, na UFF e fora dela, que una todos os setores que se opõem aos projetos que reduzem direitos e que estão sendo adotados de forma “autoritária” no país. “Precisamos de uma agenda unificada de resistência contra cortes na educação, na ciência e tecnologia e nos direitos sociais”, defendeu o docente, que propôs a construção de uma campanha neste sentido.

Continuar lendo Aduff propõe agenda de resistência conjunta contra desmonte da universidade pública e da pesquisa

Com apoio de centrais, servidores públicos mobilizam-se contra privatizações

Reprodução do site RBA/Divulgação.
Atos de servidores após assembleia de professores: adesão à agenda de lutas das centrais

por Gabriel Valery, da RBA

“Entendemos que é envolvendo o conjunto dos servidores, todas as categorias, que vamos conseguir fazer frente às políticas de destruição do Estado e das carreiras dos servidores”, afirmou o presidente da CUT-SP, Douglas Izzo, em ato unificado de diferentes centrais em defesa dos servidores públicos de São Paulo. O encontro ocorreu às 17h, na Praça da República, região central da capital.

Continuar lendo Com apoio de centrais, servidores públicos mobilizam-se contra privatizações

A crise da educação no Brasil não é uma crise; é projeto

Reprodução/Carta Capital – Tânia Rego/Agência Brasil/Fotos Públicas

Por Roberto Amaral, em Carta Capital

A frase de Darcy Ribeiro que titula este artigo sintetiza o governo que nos assola desde o golpe do impeachment: a dita crise, criada de fora para dentro, é um projeto de desconstrução, com início, meio e fim, que percorre todos os vãos da vida nacional, mas se concentra na inviabilização do futuro do país, cortando de vez as possibilidades objetivas de retomada do desenvolvimento, pois todas elas dependem de ensino, pesquisa e tecnologia, o alvos mais frágeis.

Continuar lendo A crise da educação no Brasil não é uma crise; é projeto

Artigo sobre os cortes na área de C&T na Caros Amigos, por Epitácio Macário

Ciência: Cortes no setor de C&T

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES- SN) divulgou no início de agosto um comunicado sobre os cortes que afetam a área de Ciência e Tecnologia do País, no qual são apresentados dados das limitações financeiras impostas ao setor. As consequências de tais cortes são muito graves e põem em risco todo o complexo público de C&T nacional. Tais retrocessos são parte de um projeto cujas pilastras estão cada vez mais escancaradas: o ataque à coisa pública, o desmonte do Estado e a subordinação da nação a interesses de corporações transnacionais.  Continuar lendo Artigo sobre os cortes na área de C&T na Caros Amigos, por Epitácio Macário

Estado realiza audiência para venda do Instituto Biológico

A audiência é para a alienação da área onde está o Instituto Biológico de Campinas, no Parque Ecológico, e de mais terrenos

Sarah Brito

O governo paulista realiza nesta sexta-feira (25), a partir das 10h, uma audiência pública para a alienação da área onde está o Instituto Biológico de Campinas, no Parque Ecológico, e de mais terrenos em seis cidades do Estado, que somam mais de 600 hectares. A audiência será no Centro Experimental do próprio Instituto.

Continuar lendo Estado realiza audiência para venda do Instituto Biológico

Governo Temer anuncia 57 privatizações

Reprodução: site Caros Amigos

Privatizações incluem aeroporto de Congonhas e Casa da Moeda

Caros Amigos

Um dia após anunciar a privatização da Eletrobras, o governo Temer anunciou nesta quarta-feira (23) um pacote com 57 projetos de privatizações e vendas de empresas públicas, órgãos e aeroportos. Além de 14 terminais aeroviários, – incluindo o aeroporto de Congonhas – e 11 blocos de linhas de transmissão de energia elétrica, Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) também privatizará a Casa da Moeda, órgão que produz o dinheiro que circula no País.

Continuar lendo Governo Temer anuncia 57 privatizações