Aduff propõe agenda de resistência conjunta contra desmonte da universidade pública e da pesquisa

Foto: Luiz Fernando Nabuco/Aduff

Debate “Cortes na Ciência e Tecnologia, Privatização e Desmonte da Universidade Pública” ocorreu na quinta-feira (5), no campus da UFF no Gragoatá, em Niterói

Por Hélcio Lourenço Filho e Lara Abib – Redação da ADUFF

Na abertura do debate sobre os cortes nos orçamentos da educação, da pesquisa e da Ciência e Tecnologia, o presidente da Aduff-SSind, professor Gustavo Gomes, defendeu a constituição de uma agenda comum de resistência, na UFF e fora dela, que una todos os setores que se opõem aos projetos que reduzem direitos e que estão sendo adotados de forma “autoritária” no país. “Precisamos de uma agenda unificada de resistência contra cortes na educação, na ciência e tecnologia e nos direitos sociais”, defendeu o docente, que propôs a construção de uma campanha neste sentido.

Continuar lendo Aduff propõe agenda de resistência conjunta contra desmonte da universidade pública e da pesquisa

Anúncios

Artigo sobre os cortes na área de C&T na Caros Amigos, por Epitácio Macário

Ciência: Cortes no setor de C&T

O Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES- SN) divulgou no início de agosto um comunicado sobre os cortes que afetam a área de Ciência e Tecnologia do País, no qual são apresentados dados das limitações financeiras impostas ao setor. As consequências de tais cortes são muito graves e põem em risco todo o complexo público de C&T nacional. Tais retrocessos são parte de um projeto cujas pilastras estão cada vez mais escancaradas: o ataque à coisa pública, o desmonte do Estado e a subordinação da nação a interesses de corporações transnacionais.  Continuar lendo Artigo sobre os cortes na área de C&T na Caros Amigos, por Epitácio Macário

Por que ser contra o pagamento do ensino universitário público?

Ao tornar as universidades pagas, faz-se com que nelas se introduza uma nova escala de valores, uma escala monetária

por Roberto Kraenkel

O pagamento de mensalidades pelo ensino universitário público no Brasil sempre vem à tona quando as universidades enfrentam problemas financeiros. A pergunta retórica que se ouve amiúde é : por que não cobrar de quem pode pagar? Pois bem, aqui vão algumas razões.

Continuar lendo Por que ser contra o pagamento do ensino universitário público?

Carta Aberta em defesa do Instituto Geológico

Servidores do Instituto Geológico divulgam documento no qual denunciam e se mostram contrários à intenção do Governo do Estado de São Paulo em vender o imóvel onde o Instituto está instalado e unificar os institutos de pesquisa vinculados à Secretaria de Meio Ambiente. Confira o documento na íntegra.

Continuar lendo Carta Aberta em defesa do Instituto Geológico

Veja algumas imagens de como foi a SBPC Paralela

O dia 18 de julho começou com uma panfletagem pelo campus da UFMG, para convidar as pessoas para participar da SBPC Paralela. Foram distribuídos mais de dois mil kits, contendo folder da programação do evento, folder do MCTP e a cartilha do ANDES-SN sobre o Marco (i)Legal da Ciência, Tecnologia e Inovação.

Continuar lendo Veja algumas imagens de como foi a SBPC Paralela

Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública vai ao OCUPA BRASÍLIA

O Movimento pela Ciência e Tecnologia Pública (MCTP) apoia e vai participar do OCUPA BRASÍLIA, no dia 24 de maio.

O OCUPA BRASÍLIA é uma importante mobilização convocada pelas centrais sindicais brasileiras e por centenas de organizações da sociedade civil, com a finalidade de barrar as contrarreformas da Previdência e Trabalhista e revogar a Lei das Terceirizações, já aprovada no Congresso Nacional.

As contrarreformas marcam o terrível retrocesso neoliberal que vem sendo imposto à nação pelo governo ilegítimo de Michel Temer e seus aliados. Lutar contra elas é a principal bandeira do OCUPA BRASÍLIA.

INVIABILIZAÇÃO DA CIÊNCIA
Os ataques implantados pelo governo Temer são amplos e vão inviabilizar, também, a ciência pública no Brasil.

A chamada PEC do Teto, que congela por 20 anos o investimento público em Saúde e Educação, assim como o recente anúncio do corte de 44% no orçamento do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), inviabilizam qualquer avanço na pesquisa e na ciência no País.

O OCUPA BRASÍLIA é um dos desdobramentos da histórica Greve Geral, realizada no dia 28 de abril, e que mostrou o descontentamento da população em relação aos ataques contra os direitos sociais.

PORQUE 24 DE MAIO
O dia 24 de maio é a data prevista para a votação, em primeiro turno, na Câmara dos Deputados, da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/16, que trata da contrarreforma da Previdência.

E a expectativa é que caravanas de todas as partes do País cheguem à Capital Federal para uma grande manifestação.

O MCTP participará do OCUPA BRASÍLIA por entender que somente com mobilizações dessa natureza é possível barrar as contrarreformas e defender a educação e o sistema público de ciência e tecnologia.

PELO DIREITO À EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA E DE QUALIDADE!
EM DEFESA DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA PÚBLICA!
TOD@S AO OCUPA BRASÍLIA EM 24 DE MAIO!