ApQC se manifesta em apoio ao Instituto Geológico

CARTA ABERTA DA ASSOCIAÇÃO DOS PESQUISADORES CIENTÍFICOS DO ESTADO DE SÃO PAULO

Sobre a tentativa de venda do prédio do Instituto Geológico e possível fusão das três instituições da pasta da Secretaria do Meio Ambiente

De acordo com as reportagens publicadas neste domingo, 30 de julho, pelo site Direto da Ciência (“Secretário de Alckmin tentou vender com ‘risco inaceitável’ sede de órgão de pesquisa” e “Secretaria ambiental de SP planeja fusão de seus três institutos de pesquisa”), o secretário estadual do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Ricardo Salles, tem planos para os três órgãos de pesquisa de sua pasta – Institutos de Botânica, Florestal e Geológico. Conforme apurado pelas reportagens, a secretaria chegou a tentar negociar o edifício da sede do Instituto Geológico, situado na capital paulista, apesar do parecer contrário de sua própria Consultoria Jurídica, que apontou “risco inaceitável” para o patrimônio público. Salles agora planeja a fusão física dos três institutos, alegando promover uma sinergia para priorizar investimentos na atividade de pesquisa e enxugar recursos administrativos.

Continuar lendo ApQC se manifesta em apoio ao Instituto Geológico

Veja a Manifestação Pública feita por professores da USP sobre as declarações do secretário estadual do Meio Ambiente

A USP – Universidade de São Paulo, por meio dos professores, pesquisadores e coordenadores do Plano de Manejo da APA-Várzea do Tietê, vem, na qualidade de citada de forma indevida e inverídica na imprensa e mídia em geral, pelo atual Secretário de Estado do Meio Ambiente do Estado de São Paulo, o advogado Ricardo Salles, declarar que: – antes de qualquer manifestação de natureza técnica-científica específica sobre os mapas modificados, aguarda o desenrolar do inquérito instaurado pelo Ministério Público de São Paulo. Em tal inquérito o Sr. Secretário é acusado de improbidade administrativa por pressionar funcionários a adulterar de forma fraudulenta alguns mapas. Essas alterações podem favorecer alguns setores da sociedade civil e, simultaneamente, fragilizar os critérios de proteção ambiental definidos nos originais do decreto da APA Várzea do Rio Tietê, entre os quais os remanescentes geomorfológicos e os fragmentos de vegetação nativa.

Acesse aqui o documento na íntegra

 

Professores da USP acusam secretário do Meio Ambiente de desrespeito e falta de ética

Reprodução – Foto: Pedro Calado/Secretaria do Meio Ambiente

Autores de plano de manejo da APA Várzea do Rio Tietê, cuja alteração pela secretaria motivou investigação do Ministério Público, queixam-se de declarações de Ricardo Salles que disse que eles cometeram ‘erro crasso’

Por Giovana Girardi, O Estado de S. Paulo

SÃO PAULO – Professores da USP envolvidos na realização do plano de manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) Várzea do Tietê divulgaram na última sexta-feira (24) uma manifestação contrária ao secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Salles, a quem apontam “desrespeito e absoluta falta de ética profissional”.

Continuar lendo Professores da USP acusam secretário do Meio Ambiente de desrespeito e falta de ética